5 de jan de 2016

Garoto passa 12h com bala alojada no rosto por erro de diagnóstico

Um garoto de 11 anos passou 12 horas com uma bala alojada na boca antes de sua família descobrir que ele havia sido atingido por um tiro. De acordo com a família, o ferimento foi diagnosticado inicialmente como causado por um caco de vidro por um médico que liberou a criança sem nenhum exame. “Ele [o médico] disse que não tinha necessidade de pedir raio-x, porque os cacos não iriam aparecer na imagem. Ficamos a madrugada toda procurando o vidro no portão. Ele não pediu receita nem atestado”, afirmou a mãe do garoto, Naiane Araújo, em entrevista ao site G1. Michael de Sousa Araújo começou a sangrar durante a queima de fogos do réveillon, em frente à casa de uma tia, no Distrito Federal. Por conta de um ferimento no supercílio, ele foi levado ao Hospital Regional de Taguatinga e liberado após receber pontos. “Ele estava gritando com a mão no rosto. Quando eu olhei para ele, achei que poderia ter batido na parede porque era toda chapiscada”, relatou o pai do garoto, Cleber Ferreira de Araújo. Para os familiares de Michael, houve negligência por parte do hospital. Em nota, os pais afirmaram que estrarão com uma ação contra a unidade de saúde. Após aumento do inchaço, o pai procurou outro especialista, que fez duas radiografias. O exame identificou uma bala de pistola 380 alojada no rosto. “Eu fiquei sem chão”, disse o pai. (Bahia Notícias)
Postagem Anterior
Próxima Postagem

0 comentários :