10 de fev de 2016

Olivença: Sem apoio de politicos bloco Maria Flor fez a festa dos turistas e nativos


Turistas e moradores de Olivença fizeram a festa com o Bloco Maria Flor  no período desse carnaval, sem violencia os fulioes brincaram e se divertiram ao som de muitas musicas. Parabenizar os idealizadores onde não deixaram a tradição acabar. O que nos deixa idignado é falta de respeito dos políticos de Ilhéus com a comunidade de Olivença, isso mostra que o povo de Olivença são ignorados pelos politicos. Mais uma vez agradecer aos organizadores desse humilde evento onde trouse alegria para todos presentes.



Postagem Anterior
Próxima Postagem

Um comentário :

  1. Infelizmente, a atual situação de Olivença requer urgentemente reestruturação física, administrativa e principalmente no tratamento para com os turistas. Estamos assistindo Olivença caminhando na contramão de todos os demais lugares turísticos no mundo inteiro com relação ao trato oferecidos aos turistas, o descaso é evidenciado desde a falta de interesse e açoes das autoridades municipais, do legislativo e demais órgãos públicos, que tem por obrigação de zelar e oferecer conforto, qualidade e tratamento digno aos mesmos.
    Hoje somos sabedores que o turismo é uma fonte de renda preciosa e cobiçada por todos os países do mundo, não importando o regime político e social predominante em cada um deles. No entanto, em Olivença, o tratamento dispensado aos que deixam suas lares em busca de conforto, bem estar, lazer e diversão para curtir férias ou feriados prolongados, chegando aí, deparam com uma uma estrutura precária, inúmeros policiais mal humorados e instruídos, não sei por quem, para punir de forma arbitrária, arrogante e sem qualquer forma de diálogo ou ponderação para com aqueles que fazem uso de som, principalmente automotivo. Especialmente, neste final de ano durante os dias que antecederam o Réveillon, fiz questão de observar e acompanhar a movimentação, bem como a forma de abordagem e o diálogo entre os policiais e os proprietários de veículos automotivos equipados com sons. Foram realizadas inúmeras abordagem e apreensões, sem se quer, respeitar os proprietários dos veículos, as leis vigentes e principalmente as demais pessoas e familiares que se divertiam com a sonorização, ficando claro e evidencaiado se tratar de uma ação cordenada e planejada para beneficiar algum fidalgo local.
    Este meu lamento, não é para impor o descumprimento ou buscar acabar com a lei do silêncio, apenas que a abordagem seja exercida de uma forma mais humanizada e de respeito para com os cidadaos, retribuindo a eles a gratidão e o respeito por ter escolhido, Ilheus/Olivença, para curtir praias entre outras centenas de comunidades praianas existentes no Brasil. É preciso e necessário que a população tenha consciência de que com a ausência do turismo, todos serão prejudicados de forma acentuadas no seu dia a dia, mesmos aqueles que se acham intelectuais e com melhor poder aquisitivo que os demais, com o passar do tempo, eles também irão sofrer ao ver seu capital ser reduzido e seus bens desvalorizados. Diante dos fatos e das pespectivas negativas, seria fundamental e necessário a união de todos em busca de uma solução, reivindicando junto ao executivo municipal mais atenção, cuidados e a implantação de leis com relação ao uso de som automotivo na comunidade de forma que venha contemplar os turistas, sem prejudicar a comunidade local. Sabemos que a lei de sonorização quem regulamenta de fato e de direito é o município, desde de que se estipule a quantidade decibéis e as seis horas de ininterruptas de sono dos cidadãos. Casa o município não tenha lei própria, prevalece a estabelecida pela federação e estados.
    BELO HORIZONTE é um exemplo, lá já existe uma lei municipal que regulamenta e estipula o encerramento de som entre 0:00h a 7:00h da manha. Um exemplo a ser seguido, Pense nisso!

    ResponderExcluir