13 de mai de 2016

Mulher casada é executada por um de seus dois amantes

Uma dona de casa, casada, é morta a facadas pelo amante, por ciúme de outro amante. Parece até ficção, mas a tragédia é real e ocorreu em Andradas, município de 40 mil habitantes na Região Sul de Minas. Os personagens são uma jovem de 25 anos, o marido dela, de 35, e os dois homens com os quais ela mantinha relacionamentos extraconjugais: um na faixa de 40 e o autor do crime, um pedreiro de 39. Janaína Cristina dos Santos foi enterrada ontem, em uma cidade chocada com a história. Ela tinha dois amantes, sendo o mais antigo há aproximadamente um ano e outro mais recente, o pedreiro, havia alguns meses. O marido, bem como as esposas dos outros dois homens, só souberam do envolvimento amoroso depois de descoberto o crime. Mas, entre os amantes e Janaína a relação era aberta e os dois sabiam da existência um do outro. Motivo para ciúmes, cobranças, exigências de exclusividade e embates frequentes, nos quais eles se digladiavam pela preferência de Janaína, nas palavras do delegado Fabiano Roberto Mazzarotto Gonçalves, responsável pelo caso. Inconformado com a situação, o acusado a chamou para conversar na segunda-feira, início da tarde. Disse que não suportava mais dividir a amante. Ele a levou para uma cachoeira, local da zona rural, que nesta época do ano, de temperaturas amenas, é mais ermo. A conversa virou discussão e desentendimento. O amante perdeu a cabeça e desferiu pelo menos 10 facadas contra a vítima. Principiante no crime, já que não tinha passagem pela polícia, o pedreiro, apontado pelas investigações como trabalhador, tentou ocultar o corpo. Fez uma cova rasa e o cobriu com vegetação. Voltou ao trabalho normalmente, no imóvel ao lado da casa onde Janaína morava. Terminou o serviço e voltou para casa, onde passou a noite. Na terça às 14h, o marido da mulher foi à delegacia, depois de fazer um boletim de ocorrência na Polícia Militar, para dar queixa de desaparecimento. Procura daqui, interroga dali, o delegado Fabiano Mazzarotto chegou aos suspeitos: o marido e dois amantes. Na quarta-feira à noite, o acusado foi apontado. Ele confessou e, na madrugada, mostrou o local onde havia enterrado o cadáver. “Foi uma tragédia na cidade, com várias pessoas envolvidas direta ou indiretamente”, afirmou. Janaína deixa marido, os amantes e um filho de 8 anos. O pedreiro está no presídio de Andradas, onde ficará em detenção temporária por 30 dias, prazo para a conclusão das investigações. (EM)
Postagem Anterior
Próxima Postagem

0 comentários :