30 de dez de 2016

Cerimônia de formatura em MT reúne 43 índios de 32 etnias diferentes

  • Formandos do curso de Pedagogia Intercultural que reúne 32 etnias indígenas

"Quando cheguei aqui a primeira vez, não me comportei bem. A gente não conversava. A gente só ficava olhando um para o outro. Depois fui conhecendo as pessoas e fazendo amizades."O relato é de Nawaki Ikpeng, da etnia ikpeng, e se refere aos primeiros contatos dele com seus colegas de outras etnias no curso de pedagogia intercultural da Faculdade Indígena Intercultural da Unemat (Universidade do Estado do Mato Grosso). Ele e mais 42 colegas no final de novembro.Nawaki mora na aldeia Rawo, dentro do Parque Indígena do Xingu, no norte de Mato Grosso. Para chegar ao campus no município de Barra do Bugres, a cerca de 160 km de Cuiabá, são quase dois dias de viagem, juntando os deslocamentos e a espera pelos transportes.Ele vai a pé da aldeia até uma estrada de terra que corta a reserva, onde pega uma caminhonete da Funai (Fundação Nacional do Índio). Roda de 8 a 10 horas até a cidade de Feliz Natal e, daí, enfrenta mais duas horas de ônibus até Sinop. De Sinop, são outras dez horas de ônibus até Jangada, de onde pega a última condução para Barra do Bugres. 
Nos últimos cinco anos, Nawaki fez a jornada duas vezes por ano para as aulas presenciais. Em cada temporada, ele passava um mês na companhia intensiva de 42 índios de 32 etnias diferentes, que também chegavam de diversos pontos do Mato Grosso, convivendo em sala de aula e dividindo um alojamento na periferia da cidade.O objetivo do curso é capacitar professores indígenas para que possam dar aulas às crianças das aldeias na língua de seus povos e aliar o ensino do conhecimento universal à valorização das tradições e do conhecimento específico de cada etnia. Com o curso, há incentivo de resgate e preservação tanto das línguas quanto dos costumes de cada povo.
Postagem Anterior
Próxima Postagem

0 comentários :