2 de jun de 2016

Macarrão, cúmplice do goleiro Bruno, vai para regime semiaberto de prisão

Foto: Reprodução / G1
Luiz Henrique Romão, o Macarrão, cúmplice do ex-goleiro Bruno, vai passar para o regime semiaberto de prisão, além de ganhar benefícios de saída temporária e trabalho externo. Macarrão foi condenado a 15 anos de prisão em novembro de 2012 como cúmplice de Bruno Fernandes na morte da ex-modelo Eliza Samúdio. Ele teve 425 dias da pena perdoados após trabalhar 1.134 dias e concluir 570 horas de estudo entre outubro de 2011 e setembro de 2015, de acordo com o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJ-MG). A decisão foi anunciada nesta terça (30) e vale a partir de quarta-feira (1º), quando Macarrão poderá deixar a prisão durante o dia e retornar à noite.De acordo com o TJ-MG, porém, ele precisa ser transferido de unidade prisional, por estar em um complexo de segurança máxima que não possui presos em regime semiaberto, e comprovar que conseguiu um emprego externo para obtenção do benefício. Macarrão foi condenado por homicídio triplamente qualificado: motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, além de sequestro e cárcere privado.

Postagem Anterior
Próxima Postagem

0 comentários :